Home
A Comunidade
Institucional
Nossa História
Nossos Objetivos
Galeria de Fotos
Estrutura
A Escola Comunitária Maria Lins Wanderley foi fundada pela Sra. Zeneida Hipólito da Paixão, no Estado de Pernambuco, na cidade de Jaboatão dos Guararapes, no bairro de Barra de Jangada, na comunidade “Sovaco da Cobra”.

Apoio:

Conseguimos um convênio que só dava para pagar R$ 200,00 por cada professora, que trabalhava das 7:00h às 17:00h diariamente. Não tínhamos água nem luz na escola. Eu mesmo passava horas por dia, carregando água de uma distância de 500 metros, juntamente com outro voluntário, o Sr. Carlos. Eliane, outra grande colaboradora, limpava a escola.

Tivemos a ajuda de um empresário, que nos ajudou muito, doando para nossa escola pratos, copos e talheres para cada aluno; todas as panelas industriais da nossa cozinha; fogão industrial e geladeira grande; botijão de gás e o fornecimento de 3 botijões de gás por mês; depósito grande para guardar todo o alimento da escola. Como não tinha água, um dia ele chegou à escola e me viu carregando água em um carro de mão em ruínas. Comprou um carro de mão novo e contratou o Sr. Carlos, pagando-lhe mensalmente, para que ele colocasse água na escola, pagando, também, mensalmente, a padaria para que as crianças tivessem o pão de cada dia.

Estava sempre pedindo ajuda e sempre recebendo um SIM a todos os nossos pedidos.

Tive então a idéia de ir à CEASA, levando fotos da comunidade, da escola e de nossos alunos. Comecei a ir a todos os sábados e, sozinha conseguia uma quantidade enorme de frutas e verduras. Separávamos, primeiramente, o necessário para a merenda escolar e, em seguida, doávamos o restante para todas as famílias dos nossos alunos e outras da comunidade. Assim, todo sábado, à tarde, havia frutas e verduras para levarem para casa.

Ganhamos do Colégio Souza Leão, através de sua diretora D. Dulce, todas as nossas bancas escolares e muito material escolar. Conseguimos, depois de nos inscrever em um convênio com a prefeitura e ficamos recebendo sopa. Fizemos, também, o sopão para que as crianças pudessem levar para casa.

Começamos a visitar as livrarias e editoras do Recife e ganhamos materiais didáticos e escolares. Fizemos um projeto para o Tribunal de Contas de Pernambuco, que foi aprovado, ganhamos, assim, todo o fardamento escolar.

Ganhamos do Banco do Brasil e da Caixa Econômica, muito birôs, divisórias e arquivos. Fizemos, depois, parceria com o Colégio Atual, que fez uma festa do Dia das Crianças, que ficou na história do SOVACO DA COBRA.

O Colégio Souza Leão, nosso maior parceiro, fez nossa 1ª Formatura do ABC, com direito a tudo que seus alunos particulares têm. Os alunos ganharam roupas e calçados e uma festa maravilhosa para todos os familiares.

Outro presente também lhes foi dado. Um ônibus luxuoso, com ar condicionado, levou nossas crianças, para conhecer nossa cidade, nossas praias, além de Recife e Olinda. Levamos nossos alunos ao Jardim Zoológico, teatro, praças e Shopping Center.

Foram muitos momentos de grande alegria e felicidade.

Mas, após fortes chuvas, uma cheia muito grande inundou nossa escola e perdemos tudo que, com tanto esforço havíamos conseguido.

Recomeçamos, novamente, com grande energia e disposição. Mas, em julho de 2005 tivemos que fechar a escola, pois como diretora eu era a única em condições de pedir continuamente, para pagar as despesas e manter a escola.

Porém, meu filho, portador de uma doença raríssima no mundo, piorou muito e tive que apelar para outros corações, a fim de que ele pudesse superar as crises graves que ameaçavam sua vida. Fizemos viagens e agora seu estado, embora grave e inspirando cuidados, está relativamente estável.

Com isso, voltamos a reabrir nossa escola, agora, com outros colaboradores, que poderão assumir o dia-a-dia da escola, se por acaso eu precisar me ausentar por curtos períodos para atender a meu filho.

Mas voltamos, novamente, ao estágio inicial e não consigo dormir vendo meus alunos pelas ruas, pedindo esmolas e as meninas sendo mãe, ainda crianças.

Meu maior sonho é encontrar um parceiro para que, juntos, possamos plantar, novamente, no coração desses bravos brasileirinhos, uma semente de amor e esperança. Mesmo que seu caminho seja humilde, que seja o caminho do bem.

Mais uma vez, perdemos tudo, porque não conseguimos renovar o convênio com a Prefeitura Municipal de Jaboatão dos Guararapes. Nossa escola funcionava em um prédio alugado, apesar de ter sido escolhida como o melhor trabalho comunitário pela Rede Globo e pelo Exército Brasileiro, ganhamos uma reforma geral feita pelo Exército Brasileiro, tivemos que entregar o prédio à proprietária, à qual ainda estamos devendo dois anos de aluguel. Passamos a funcionar num pequeno espaço, tivemos que reduzir, com o coração em dor, os nossos alunos de 480 para 120 alunos.

Mas a fé é a grande certeza da minha missão, pois Deus enviou um Anjo de Luz, o Sr. Mauro Sérgio de Souza Leão Araújo que, em dezembro de 2008, quando íamos abandonar totalmente o nosso trabalho comunitário, nos presenteou, comprando um terreno, doando-o para a construção da nossa escola.

2009 será um grande desafio. Preciso estender as minhas mãos e ter a certeza que posso tocar as suas e que, juntos, vamos finalmente, poder construir a Escola Comunitária Maria Linz Wanderley, que tem, por objetivo maior, transformar a vida dessas crianças, que estão fora da faixa escolar em verdadeiros cidadãos.

Por todos esses motivos, iremos reiniciar as aulas, mesmo não tendo mais nenhuma banca, nenhum livro, nem material escolar. Contamos com a ajuda dos professores que nos irão auxiliar, até que seja possível remunerá-los.

Por isso, necessitamos tanto de sua valiosa ajuda para conseguirmos:

· Fardamento;
· Material didático e escolar;
· Merenda;
· Um parque de brinquedos;
· Material de limpeza.

E, para todos os nossos jovens, desejo tanto encontrar um projeto efetivo em suas vidas, para que seus olhos possam brilhar, ao se tornarem úteis e respeitados, podendo ajudar no atendimento das necessidades de suas famílias.

Sendo respeitados, também respeitarão a todos. E, juntos, com bons orientadores, estaremos transmitindo a eles os verdadeiros valores humanos.

Eu sempre fiz tudo sozinha, porém preciso muito poder contar com orientadores especializados, para transformar o “Sovaco da Cobra” no “Novo Horizonte” para todos.

Também eu preciso aprender muito ainda. Existe em mim uma vontade infinita de me doar, e, aprendendo mais, eu poderei doar muito mais. Sei que doando-nos, Deus suprirá todas as nossas necessidades.

Zeneida Hipólito da Paixão
Diretora e fundadora da Escola Comunitária Maria Lins Wanderley